segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Os desafios da política de museus em tempos de crise

A situação actual vivida pelos museus portugueses, nos tempos de profunda crise financeira, económica e sobretudo social que Portugal atravessa, acrescida da degradação da política de museus ocorrida nos últimos dois anos e da conjuntura actual de mudança de Governo, sem que sejam ainda conhecidas medidas substantivas e pelo contrário haja anúncios de desenvolvimentos potenciais que causam a maior inquietação, levou a direcção da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM a decidir actualizar e aprofundar a sua Declaração de Novembro de 2009, dando origem ao presente documento, intitulado "Os desafios da política de museus em tempos de crise", o qual resulta de ampla consulta ao conjunto dos Corpos Gerentes e a diversos outros colegas membros do ICOM.PT

A Declaração ICOM.PT “Os desafios da política de museus em tempos de crise", de Outubro de 2011, que actualiza e aprofunda Declaração anterior, de Novembro de 2009 constituirá o documento de referência para o debate a ter lugar no Museu da Electricidade, em Lisboa, no dia 9 de Novembro, pelas 18 horas.
São intervenientes convidados os presidentes das duas associações de museus existentes em Portugal (ICOM.PT e APOM), assim como alguns dos principais responsáveis pela concepção e aplicações das políticas de museus definidas em Portugal, na última década.

Entrada livre.

Primeiras Olimpíadas do Braille


A ACAPO - Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal, Instituição Particular de Solidariedade Social de âmbito nacional, que tem como fins estatutários a melhoria da qualidade de vida, a igualdade de oportunidades e a inclusão social dos cidadãos com deficiência visual portugueses, encontra-se a promover um concurso de Braille, denominado 1as Olimpíadas do Braille.

Este concurso pretende estimular e valorizar o correcto domínio do sistema Braille e criar, entre os seus utilizadores habituais e conhecedores - que por necessidade profissional ou interesse pessoal a ele se dedicam - um espírito de determinação para a sua aprendizagem e utilização constante.

O concurso realizar-se-á no próximo dia 3 de Dezembro - Dia Internacional das Pessoas com Deficiência – e terá lugar no Auditório da Estação de Metro do Alto dos Moinhos, em Lisboa, pelas 14h30. Compreenderá a participação de 4 escalões etários:

1º Escalão – concorrentes com deficiência visual e com idades compreendidas entre os oito e os doze anos;

2º Escalão – concorrentes com deficiência visual e com idades compreendidas entre os treze e os vinte anos;

3º Escalão – concorrentes com deficiência visual e com idade superior a vinte anos;

4º Escalão – concorrentes sem deficiência visual;

O prazo de inscrições decorrerá entre os dias 2 e 18 de Novembro. Para esse efeito, solicitamos aos interessados o preenchimento do formulário, disponível no website da ACAPO (www.acapo.pt), devendo o mesmo ser remetido para o e-mail inscricao@acapo.pt ou entregue pessoalmente nas Delegações da ACAPO.

Gostaríamos que colaborasse connosco, incentivando os alunos e professores da sua escola a participar!

Para esclarecimentos adicionais, contacte a equipa coordenadora do evento através do e-mail: ritapereira@acapo.pt, ou contacto telefónico: 213244500.

Encontro Ouvir a arte e a cultura – A audiodescrição na construção de produtos inclusivos


No dia 22 de Novembro, a Associação Íris Inclusiva promove, na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, o Encontro Ouvir a arte e a cultura – A audiodescrição na construção de produtos inclusivos, a realizar no âmbito de um projecto já em curso, financiado pelo INR, I.P. Subprograma para Todos (consltar o programa aqui).


Encontro “OUVIR A ARTE E A CULTURA – A audiodescrição na construção de produtos inclusivos”


No próximo dia 22 de Novembro, a Associação Íris Inclusiva promove, na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, o Encontro “Ouvir a arte e a cultura – A audiodescrição na construção de produtos inclusivos”, a realizar no âmbito de um projecto já em curso, financiado pelo INR, I.P. Subprograma para Todos.
De uma forma muito geral, a audiodescrição visa permitir o acesso da pessoa cega e com baixa visão a diferentes formas de expressão artística e cultural, contribuindo assim para a sua plena inclusão cultural, comunitária e social, em igualdade de circunstâncias com os demais cidadãos.
A iniciativa, desenvolvida em parceria com o projecto AUDIODESCRIÇÃO.PT – Ouço, logo vejo, da Companhia de Actores (Oeiras), com o Teatro O Cão Danado (Braga) e com a Câmara Municipal de Viana do Castelo, pretende dar a conhecer o recurso e contribuir para a construção de práticas mais inclusivas pelos diversos agentes culturais (associações, municípios, museus, estruturas ligadas às artes performativas, etc.), com especial enfoque naqueles que actuam no distrito de Viana do Castelo, por ser este o território de actuação da Associação promotora.

Ao longo do Encontro, os participantes terão oportunidade de percepcionar de que forma o serviço de audiodescrição pode ser integrado em dois produtos artístico-culturais distintos: uma exposição de fotografia e uma performance, que virão por certo enriquecer e complementar a intervenção dos vários convidados que farão do espaço que acolhe o evento um lugar essencialmente de partilha e de construção.

A inscrição no Encontro é gratuita, embora sujeita à disponibilidade da sala, e pode ser efectuada na página de internet www.irisinclusiva.pt ou através do e-mail geral@irisinclusiva.pt ou do telemóvel 962 697 074. No acto de inscrição, e caso o participante assim o deseje, deve ser indicada a necessidade de impressão do material do evento em Braille.

Segue o programa do evento:


9h00: Recepção dos participantes

9h30: Abertura do Encontro

Ana Paula Pereira (Presidente da Íris Inclusiva)

Ana Margarida Silva (Vereadora da Acção Social, Câmara Municipal de Viana do Castelo)

10h00: Apresentação do programa do Encontro

Isabel Barciela (Íris Inclusiva)

Anaísa Raquel (Projecto AUDIODESCRIÇÃO.PT)

Luís Rocha (Movimento de Expressão Fotográfica)

10h15: Audiodescrição - Imagens que se ouvem

Josélia Neves (Docente e investigadora, Instituto Politécnico de Leiria)

11h00: Pausa para café

11h30: Exibição de documentário sobre a exposição SENTI(N)DO

11h45: À Conversa sobre a audiodescrição

Moderação de Cláudia Semedo (actriz)

Intervenientes:

Josélia Neves (Docente e investigadora, Instituto Politécnico de Leiria)

Anaísa Raquel (Audiodescritora, projecto AUDIODESCRIÇÃO.PT)

Maria José Guerreiro (Vereadora da Cultura, Câmara Municipal de Viana do Castelo)

Maria João Dias Costa (Mosteiro de São Martinho de Tibães, DRCN)

Ricardo Teixeira (Conselheiro do projecto AUDIODESCRIÇÃO.PT)

12h30: Almoço (livre) / Abertura da exposição SENTI(N)DO

14h30: À Conversa sobre a audiodescrição – 2ª parte

15h15: Performance

Pelo Teatro O Cão Danado, a partir de Dias Felizes, de Samuel Beckett

15h30: Debate aberto ao público e conclusões

16h00: Encerramento do Encontro / Verde de Honra

19.30h: Encerramento da exposição SENTI(N)DO

Flores Para Mim


Encontra-se em exibição no Teatro Meridional a peça de Abel Neves, "Flores para mim", um trabalho sobre a imperfeição da condição humana, que apresenta os nossos defeitos como deficiências (leia notícia aqui).

A peça estará em palco até 11 de Dezembro.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

o Rei Leão adaptado a crianças com autismo

O Minskoff Theatre na Broadway, Nova Iorque, apresentou o espectáculo Lion King modificado para crianças com autismo e as suas famílias.

Noticia publica no The New York Times: http://artsbeat.blogs.nytimes.com/2011/10/03/parents-and-kids-say-they-appreciated-autism-friendly-lion-king-matinee/

Workshop "Autismo - da Adolescência à Velhice"


PERTURBAÇÕES DO ESPECTRO DO AUTISMO
40 ANOS DE ASSOCIATIVISMO EM PORTUGAL
17 e 18 de Novembro de 2011

Autismo – da Adolescência à Velhice
Drª Patrícia Howlin
Workshop integrado nas comemorações dos 40 anos, no dia 18 de Novembro de 2011, das 14h às 17h e das 18h às 19h
Local: Auditório da Glaxo Smith Kline

A conferência será uma participação activa da audiência num debate orientado de acordo com os subtemas propostos previamente nas fichas de inscrição.

A Drª Patrícia Howlin é professora de Psicologia Clínica Infantil no Instituto de Psiquiatria em Londres e tem uma vasta experiência de investigação em autismo, tanto de programas de intervenção precoce como da transição da adolescência para o estado adulto. É Presidente do Scientific and Advisory Committee of Research Autism e do Scientific Review Panel for Autistica. Foi fundadora e é editora da revista Autism: The International Journal of Research and Practice. Tem vários livros publicados sendo o último Sage Handbook of Developmental Disorders com Tony Charman & Mohammad Ghaziuddin.

Co financiado pelo INR, I.P., Subprograma Incluir Mais

Encontro "Ouvir a Arte a Cultura: a Audiodescrição na Construção de Produtos Inclusivos"


No próximo dia 22 de Novembro, a Associação Íris Inclusiva promove, na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, o Encontro “Ouvir a arte e a cultura – A audiodescrição na construção de produtos inclusivos”, a realizar no âmbito de um projecto já em curso, co-financiado pelo INR, I.P. Subprograma Para Todos.

De uma forma muito geral, a audiodescrição visa permitir o acesso da pessoa cega e com baixa visão a diferentes formas de expressão artística e cultural, contribuindo assim para a sua plena inclusão cultural, comunitária e social, em igualdade de circunstâncias com os demais cidadãos.

A iniciativa, desenvolvida em parceria com o projecto AUDIODESCRIÇÃO.PT – Ouço, logo vejo, da Companhia de Actores (Oeiras), com o Teatro O Cão Danado (Braga) e com a Câmara Municipal de Viana do Castelo, pretende dar a conhecer o recurso e contribuir para a construção de práticas mais inclusivas pelos diversos agentes culturais (associações, municípios, museus, estruturas ligadas às artes performativas, etc.), com especial enfoque naqueles que actuam no distrito de Viana do Castelo, por ser este o território de actuação da Associação promotora.

Ao longo do Encontro, os participantes terão oportunidade de percepcionar de que forma o serviço de audiodescrição pode ser integrado em dois produtos artístico-culturais distintos: uma exposição de fotografia e uma performance, que virão por certo enriquecer e complementar a intervenção dos vários convidados que farão do espaço que acolhe o evento um lugar essencialmente de partilha e de construção.

A inscrição no Encontro é gratuita, embora sujeita à disponibilidade da sala, e pode ser efectuada na página de internet www.irisinclusiva.pt ou através do e-mail geral@irisinclusiva.pt ou do telemóvel 962 697 074. No acto de inscrição, e caso o participante assim o deseje, deve ser indicada a necessidade de impressão do material do evento em Braille.

Adaptação de brinquedos oferecidos para crianças com deficiência motora


O Centro de Recursos para a Inclusão Digital (CRID) da ESECS - Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, do Instituto Politécnico de Leiria, lançaram a quarta edição da Campanha “Mil Brinquedos Mil Sorrisos”. Desde 2008 que o CRID-IPL se lançou nesta odisseia da fantasia. Recebemos brinquedos eletrónicos, novos ou usados que são adaptados pelos alunos e professores do curso de Engenharia Eletrotécnica ESTG- Escola Superior de Tecnologia e Gestão, do IPL, dedicando parte do seu tempo livre a uma tarefa tão nobre. Posteriormente são tratados, embrulhados e oferecidos às crianças que deles precisam, nomeadamente crianças com deficiências motoras

Quadro de Botticelli em versão táctil


Uma versão táctil da obra "O Nascimento de Vénus" de Botticelli foi inaugurada na Galeria Uffizi de Florença.

É graças a esta reprodução tridimensional (mais pequena que a original) que desde 5 de Outubro todos os invisuais podem tocar na famosa deusa clássica, que emerge das águas numa concha apresentando-se de forma esguia e com longos membros e traços harmoniosos.
Esta iniciativa foi recebida com grande entusiasmo por Antonio Quatraro, presidente da União Italiana de Cegos de Florença. Segundo este responsável, citado pelo jornal espanhol El Pais, esta versão táctil permite que todos aqueles que, como ele, não vêem, possam disfrutar do património artístico.
Dentro de algumas semanas estarão também disponíveis painéis com informações em braille em inglês e italiano. A experiência vai ser agora estendida a outros museus. "La Fornarina"de Rafael, da Galeria Nacional de Arte Antiga, do Palácio Barberini de Roma, será a próxima obra a ter uma reprodução tridimensional. Está em análise a possibilidade de algumas obras expostas no Palácio Real de Turim e no Museu Capodimonte de Nápoles também ganharem uma réplica em três dimensões.

Fonte DN Artes

I Encontro da Rede de Acessibilidade em Museus - Rio de Janeiro


O 1º Encontro da Rede de Acessibilidade em Museus terá lugar no Museu da República de Rio de Janeiro no da 17 de Outuro. Mais info em http://www.forumpermanente.org/.noticias/noticias-2011/1o-seminario-estadual-de-acessibilidade-de-museus-e-instituicoes-culturais-rj/

Carta de José Enrique (prof. com deficiência visual) a Steve Jobs

"Hola, Steve:

Quizás sea exagerado para algunos que un ciego como yo te
dé las gracias. Pero no. Ya veréis.
En primer lugar, tendría que darte las gracias por tu época
de joven ilusionado y luchador. Lo del garaje, ya sabes.
Aunque eso está más que repetido, hoy, en estos tiempos de
crisis económica y laboral, pienso que es un buen ejemplo
que nos dejas. Gracias por enseñar que se empieza como se
pueda, sin tener ni pedir, poniendo ideas, estudio, ilusión,
tenacidad. Y si fracasas una vez, quizás la próxima será la
del éxito.
También tendría que darte las gracias por tu lucha y
esfuerzos, con el cáncer a cuestas. Por tu gastarte
trabajando hasta el último mes, hasta el último día casi.
Gracias por no desfallecer y animar a muchos a no dejarse
vencer fácilmente.
Pero como ciego tengo un agradecimiento especial: gracias
por demostrar que se pueden diseñar los dispositivos
digitales de forma que sean accesibles para todos, ¡y sin
costar ni un céntimo más! Gracias por tus ipo's, iphone's e
ipad's de los últimos años. Gracias por demostrar que no
hacen falta aparatos diferentes, porque los ordinarios
sirven a todos.
Debería decir: gracias por escuchar a aquel grupo de
estudiantes ciegos de tu país, por tu decisión de ordenar a
los ingenieros que les escucharan y que sometieran los
prototipos a su evaluación.
Gracias por tu sensibilidad y buen hacer.
A partir de ti, nada debería ser igual en el mundo del
diseño industrial.
¡Ah!: y espero que ahora, desde arriba, desde ese lugar que
seguro te ganaste muy cerca del Inventor Supremo, te
dediques a recordarnos al oído a todos que las cosas se
pueden hacer mejor pensando en los que tienen dificultades
para ver, para oir, para tocar, niños, jóvenes, adultos o
ancianos. Recordándonos que es más fácil dar que recibir.
Hasta luego."

José Enrique



Sígueme en twitter como cotainas y por supuesto...
Visita mi blog y deja tus comentarios en

http://tiflohomero.blogspot.com

Saludos cariñosos

La amistad es luz en la oscuridad. Por eso tú eres la luz que amaina mi ceguera.
Uno no está solo cuando elige estarlo. La verdadera soledad estriba en no poder elegir.
Siempre adelante

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Coping with Cuts to Disability Services


Coping with Cuts to Disability Services by Claudia Wood


In October 2010, Demos published Destination Unknown, exploring the impact of the welfare benefit cuts announced in the Spending Review on disabled people. Our analysis of DWP caseloads revealed that, overall, the 3.5 million disabled people currently claiming disability-related benefits would lose about £9.2 billion of financial support by 2015 as a result of the Government’s announced changes.

But after publishing this report, we realised we knew little of what was going on ‘on the ground’ with local services. Disabled people are disproportionately reliant both on welfare benefits and public services – so we were only looking at one half of the coin when it came to the impact on disabled people of the government’s reforms. Because the fact was, in the very same Spending Review that saw such radical reforms to benefits, the government also announced budgetary cuts to local authorities that were truly game changing. A 28 per cent cut over a four year period. Councils were facing tough decisions – sacrifices had to be made, and many were placed in the unenviable position of choosing between refuse collection and library maintenance, play groups and elderly care.

Coping with the Cuts, has therefore attempted to throw light on how the government cuts to local authority budgets are affecting disabled people’s services across the country. We undertook the ambitious task of collating a range of data regarding front line care and support services from every local authority in England and Wales, sending out hundreds of FOI requests to gather the necessary information.

Once we had this to hand, we realised that there were disparities between the level of budgetary cuts local authorities were making to their social care budgets, and the changes being made to the front line of care and support. Some councils had very large care cuts – up to 22 per cent - but were not raising service user charges, or tightening eligibility criteria. They weren’t closing any services either. On the other hand, some councils were increasing care funding by up to 10 per cent, but reported closures, restrictions in eligibility and large increases in charges for things like meals on wheels and respite.

And it is this disparity which is at the heart of today’s report. We found that when it comes to coping with the cuts, it’s not always how much you have, but what you do with it that counts. We combined this front line information and created a ‘coping score’ to demonstrate this.

The results, published today and presented graphically at http://disability-cuts-map.demos.co.uk/, shows that local authorities are each coping with budgetary constraints in very different ways, and some better than others. By looking beyond how much funding councils had, to how this was affecting their front lines, we were able to avoid the very common criticism levelled at councils with big budget cuts. Some councils wielding large cuts are actually doing well in protecting disabled people's services – this measure acknowledges their hard work.

We were, for the first time, able to compare local authorities based on a set of objective and comparable data and present the information as a national picture. And it is a phenomenally complex picture, one which the government would do well to consider when assessing the impact of its local authority budget cuts.

But the key finding of this report is, perhaps, that there is no ‘magic bullet’ when it comes to coping with the cuts. We report how many local authorities are trying new things – from citizenship-based commissioning, to coproduction with disability user groups, to integrating their health and care systems – to get more for less. Each are at a different stage in the process, some were encountering greater obstacles than others, but it is still early days. Hopefully, local authorities will consider today’s coping score as a baseline – and take it as a challenge to improve and learn from the range of coping strategies already being pioneered across the country.

Seamus
The information on North Yorkshire suggests:
1). -9.04 per cent budget change to disabled children and families' care and support
2). 0.26 per cent budget change to adult care and support
3). -4.15 per cent budget change to older people's care and support
It states that North Yorkshire has increased the cost of specialist transport by 10 per cent and is no longer offering community meals services. We are rated as 'OK'

I have to query the data and the suppositions in your methodology. Some statements are plainly untrue... e.g. we are seeing an increase in the uptake of meals through our social enterprise models with WRVS and Age Concern in North Yorkshire. The fact that we have organised things differently and we are being more efficient does not then mean a reduction in front line services.
Likewise you rightly use the word 'change' when you refer to % in adult social care. However we are offering more people support and with a wider transformed range of services. Your headline 'Coping with Cuts' gives little credit to the successful efforts of Local Government to modernise and transform thus achieving greater efficiencies while producing better outcomes for people.

PS we continue to offer services at all levels of the FACs criteria.


Claudia
Seamus - we based our analysis on FOI responses from individual councils. All information we used came directly from them.

North Yorkshire told us "Meals on wheels - No longer provided. Number of people who accessed the service: 1,051". The FOI request allowed councils to give us additional information, but the response gave us no further details on this particular issue.

However - and more importantly - whilst closures and cessations of services was mentioned as "additional information" on the Disability Cuts website, closures are NOT included in the calculation of the council's coping score. We explain this on the website here http://disability-cuts-map.modernactivity.co.uk/how-we-made-the-coping-index/ and in the full report. We did not include closures and cessations for the very reason you imply here - it is too subjective an issue, and we are not in a position to judge whether the end of a service is done for a "good" or "bad" reason.

Therefore, the end (or not) of community meals in North Yorkshire does not affect North Yorkshire's score at all.

The increases in user charges in North Yorkshire in hourly home care, transport, day centre meals and older people's respite charges are taken into account, and DOES affect North Yorkshire's score.

However, the fact that eligibility criteria is (again according to the FOI response) "moderate, with the aim of meeting lower need where the risk to independence may be significant" counts in North Yorkshire's favour, as does the fact it does not apply an efficiency saving on personal budget allocations. Hence the overall placing of 67 out of 152 - above average.

Hope this clarifies. I would also suggest you read the full report, which very much focuses on the innovations of some councils in the list (not just the top copers) and distils some key things they have in common that other authorities could take on board.


The full report can be dowloaded here:http://www.demos.co.uk/publications/copingwiththecuts

Design Inclusivo de Exposições


Estão abertas as inscrições para o 6º Seminário Anual do GAM (Grupo para a Acessibilidade nos Museus) sobre a temática do Design Inclusivo de Exposições.

O programa e a ficha de inscrição estáão no blog http://gam-acessibilidade.blogspot.com.

Graças aos apoios da Fundação das Comunicações, da Fundação EDP, da Fundação Calouste Gulbenkian, do Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva e da Embaixada de França de Portugal, o seminário será gratuito.

Info: http://gam-acessibilidade.blogspot.com/2011/08/6-seminario-gam-17-de-outubro-de-2011.html

"Diferentes no Conceito, Únicos na Diferença”



A PsicoSoma Viseu, após a positiva experiência que fora o I Simpósio de Gerontologia, organizado em 2010, em Viseu, dedica este ano novamente esforços para a realização do II Simpósio de Gerontologia, igualmente em Viseu.

Este ano o tema subjacente ao simpósio irá assentar no Envelhecimento Activo e Actividades junto da Terceira Idade.

O II Simpósio de Gerontologia PsicoSoma, irá realizar-se em Viseu, Portugal, no próximo dia 5 de Novembro.

O papel do gerontólogo passa por garantir que o processo de envelhecimento seja um processo orientado e bem-assistido.

Torna-se desta feita indisponível que o aumento da expectativa de vida seja acompanhado por uma qualidade de vida, satisfação e bem-estar do idoso.

Actualmente, o papel do gerontólogo é dificultado por diversos factores, assim, proporcionar aos profissionais da área um espaço de divulgação de conhecimento e troca de experiência será sem dúvida uma mais-valia.

A diminuição da natalidade, o aumento da esperança de vida e o envelhecimento da população mundial são uma realidade, surgem cada vez mais novas respostas a esses fenómenos, como a criação de várias entidades de apoio social, dinamizando assim um sector de actividade.

É assente nas novas perspectivas de intervenção que a PsicoSoma decidiu desenvolver uma nova edição do simpósio de Gerontologia.

Ter na cidade de Viseu profissionais reconhecidos nas diversas áreas, profissionais e técnicos activos que contribuam cientificamente e socialmente para o sector, surge como o grande objectivo de modo a que possam ser expostas e debatidas várias temáticas, sejam feitas trocas de conceitos, experiências e estudos.

Deixamos em anexo press release acerca do assunto em questão, bem como o link do evento: https://simposiogerontologiapsicosoma.wordpress.com

Em nome das artes ou em nome dos públicos?



CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - TER 13, QUA 14, QUI 15 DE DEZEMBRO
"Em nome das artes ou em nome dos públicos? 3E – equipas, ética e erro: reflectindo sobre alguns conceitos da mediação cultural"

Pequeno Auditório da Culturgest
15€ por dia · Lotação limitada. Inscrição prévia obrigatória.

De que modo os museus e os centros culturais estão a lidar com as exigências e as necessidades dos seus públicos? A emancipação dos públicos é verdadeiramente promovida ou é sobre a falta dela que se constrói a mediação cultural na actualidade? Que grau de partilha e de participação é solicitado aos públicos dos museus? É a interpretação do público uma forma de completar o objecto artístico? E onde começa a prática artística com comunidades e termina a mediação cultural? É o mediador cultural um agente isento e transparente ou a sua presença condiciona a interpretação dos objectos? Partilha com os seus públicos dúvidas honestas ou, na maior parte das vezes, já tem as respostas?

Sem deixar de indagar mas sem respostas à vista, convidámos artistas, filósofos, críticos e profissionais de museus de diferentes países para, em conjunto com o público, reflectirem sobre a importância e a validade da mediação cultural nos espaços museológicos da actualidade. Para mote de discussão de cada dia elegemos os conceitos de equipa, ética e erro.

Às equipas nos museus devemos o reconhecimento de serem a alma comunicante da maior parte das instituições. À ética devemos a reflexão constante sobre as formas de captação e comunicação com os públicos. Ao erro devemos o privilégio da aprendizagem e do crescimento constantes.

E porque acreditamos na riqueza da comunicação sem rede, optámos por correr o risco de apresentar três dias preenchidos com debates abertos ao público, mesas redondas com um só porta-voz, speed meetings e workshops orientados por artistas.

How do museums deal with their audiences’ needs? How much are they called upon to participate and share? Where does artistic practice with communities begin and where does cultural mediation end? Are cultural mediators impartial agents or does their presence affect the interpretation of the objects? We have invited artists, philosophers, art critics and museum professionals to discuss for three days (in debates, round table discussions, speed meetings and workshops) on the importance of cultural mediation in present-day museums.

Colóquio “(More) Accessible Museums”


O ICOM Belgium organiza nos dias 24 e 25 de Novembro a conferência (More) Acessible Museums:

The accessibility of museums to disabled people has become a recurring subject among professionals in recent years. Whether it has something to do with the accessibility to buildings or the content itself of an exhibition or a permanent room, questions are numerous. How can an exhibition be made understandable for people with bad vision? What are the expectations of the disabled audience? How can accessibility and architectural restrictions of buildings be united? How can things be vulgarised without becoming superficial? How can interesting tools be offered to mentally disabled people? How can a strict budgetary policy be combined with arrangements specifically developed for a minority audience?

Due to these questions from the museum world and from representatives of disabled people, the national Belgian committee of the ICOM will organize a colloquium for exchanging experiences in Europe in this matter on November 24 and 25 2011.


Info: http://www.repere.be/accessiblemuseums/

Colóquio "Media e Deficiência"


Auditório Agostinho da Silva
Universidade Lusófona
Campo Grande, 376 - Lisboa
28 de Setembro de 2011
Entrada Livre

Inscrições até 26 de Setembro
ana.valente@gmcs.pt

Sítio do Colóquio
brevemente online

www.facebook.com/mediaedeficiencia

Contextualização

A imagem da deficiência na sociedade esteve muito tempo associada a uma conotação negativa, estigmatizada, onde a deficiência da pessoa era representada como a sua única característica e onde outros aspectos individuais como as emoções, os atributos intelectuais, o género, a religião, as competências e potencialidades eram muitas vezes desprezadas e ignoradas.

Os meios de comunicação social têm particulares responsabilidades na formação das mentalidades e dos comportamentos sociais, designadamente no que diz respeito aos conteúdos e imagens que veiculam sobre as pessoas com deficiência.

Não descurando a atenção e o contributo que alguns profissionais da comunicação social já dão às questões relacionadas com a deficiência, regra geral os media não prestam a devida atenção às pessoas com deficiência. A presença destas nos media é frequentemente esquecida ou praticamente invisível.

Todavia, os media podem e devem desempenhar um papel activo, relevante e determinante no tratamento não discriminatório de qualquer cidadão, e, por maioria de razão, dos cidadãos com necessidades especiais, devendo contribuir para superar os estereótipos, os preconceitos e o medo em relação ao que é “diferente”, contribuindo para a promoção dos direitos das pessoas com deficiência e para a sua efectiva integração na sociedade.

Por outro lado, há ainda um longo caminho a percorrer no que respeita à acessibilidade das pessoas com deficiência aos media, tornando-se necessário sensibilizar as empresas, órgãos e profisssionais do sector, incluindo os media online, para a disponibilização e transmissão dos seus conteúdos com os requisitos e funcionalidades técnicas necessários à sua acessibilidade por parte das pessoas com deficiência.

Atendendo ao papel fulcral que os media podem desempenhar na integração social das pessoas com deficiência, o GMCS, a Universidade Lusófona e o Grupo de Reflexão sobre "Media e Deficiência" vão organizar o Colóquio "Media e Deficiência", que terá lugar no Auditório Agostinho da Silva, da Universidade Lusófona, em Lisboa, no próximo dia 28 de Setembro. Dois temas principais estarão em análise e debate neste Colóquio:
•1. As acessibilidades aos media;
•2. A imagem das pessoas com deficiência nos media.

Cada um dos temas será abordado, em profundidade, por um perito de reconhecida competência, nacional e internacional, neste domínio, seguindo-se depois um painel constituído por conferencistas com actividade desenvolvida sobre o tema e no final um debate que se quer o mais participado e amplo possível por parte da assistência.

Oradores: Peter Looms e Josélia Neves.

Peter Looms é dinamarquês. Perito e consultor internacional em acessibilidade audiovisual, tem dedicado, nos últimos anos, a sua atenção à acessibilidade da televisão por parte das pessoas com deficiência. É actualmente presidente do "Focus Group sobre Acessibilidade dos Meios Audiovisuais" da União Internacional das Telecomunicações. Colabora com o grupo de investigação da Universidade Lusófona sobre a acessibilidade das pessoas com deficiência à televisão digital. É professor convidado da Universidade Técnica da Dinamarca e professor convidado da Universidade de Hong Kong e de outras universidades da Europa e da Ásia nas áreas dos media digitais e da acessibilidade aos media. Participou na criação do consórcio DTV4ALL (Digital Television for All) que apoiou a Comissão Europeia na promoção da info-inclusão e da televisão na Europa.

Josélia Neves tem um doutoramento em Estudos de Tradução, com uma tese sobre Tradução Audiovisual: Legendagem para Surdos, pela Universidade de Surrey Roehampton, em Londres; e um pós-doutoramento sobre Comunicação Inclusiva em Contexto Museológico, realizado no Imperial College London. É professora Adjunta no Instituto Politécnico de Leiria; tendo também, ao longo dos últimos anos, leccionado como professora convidada na Universidade de Coimbra, no âmbito dos Cursos de Mestrado e de Doutoramento em Estudos de Tradução e em vários cursos de Mestrado e de Doutoramento em outras Universidades nacionais e estrangeiras. Pertence ao grupo de investigação internacional TransMedia que agrega investigadores de Espanha, Bélgica, Alemanha, Reino Unido e Portugal, desempenhando um papel activo no debate das políticas de acesso à comunicação social em contexto europeu e nacional. Desde 2000 tem vindo a desenvolver projectos na área da comunicação acessível para públicos com necessidades especiais numa perspectiva inclusiva, eliminando barreiras e promovendo soluções "para todos".

A entrada no Colóquio é livre, embora sujeita a inscrição prévia que deverá ser enviada até ao dia 26 de Setembro para ana.valente@gmcs.pt.

Retirado de: http://www.gmcs.pt/index.php?op=cont&cid=1519&sid=1618

Falar Com as Mãos


"Falar com as mãos" é um livro de sensibilização à língua gestual portuguesa que inclui no final da história um alfabeto que nos ensina a compreender e a comunicar com pessoas surdas. Pode ser encomendado aqui.

Full and Equal Access

The National Arts and Disability Strategy highlights the need to act now to ensure that people with disabilities have access to fulfil their entitlement of a culturally expressive life. Emma Bennison discusses the need for a fundamental cultural shift if the strategy is going to be fully realised….

When the Cultural Ministers Council endorsed a National Arts and Disability Strategy (NADS) in 2009, it was met with a sense of optimism by the arts and disability sector. While there were concerns at the lack of funding to support its implementation and the absence of measurable targets, there was general agreement that this was a landmark first step toward genuine inclusion for people with disability in all aspects of arts and culture. This was the first time a Federal Government had developed an arts and disability policy to be implemented in collaboration with State, Territory and Local Governments.

Since then, two hundred and twenty nine projects around increasing access to arts and culture have been cited in the NADS update report. Given the lack of targets within the strategy, it is impossible to determine how this compares with previous years and whether the NADS has been the driver, or whether progress would have been made regardless. It is also too early to say how successful cross-Government collaborations will be in leveraging additional funding and support for the focus areas within the strategy.

Despite the challenges which remain in terms of the collaboration still required from Governments at all levels to implement the NADS, it has not necessarily been a missed opportunity. History will judge its success on whether people with disability enjoy full and equal access to arts and culture at all levels. Arts Access Australia (AAA) estimates that $24 million will be required in order to fully implement the NADS. The Office for the Arts has recently provided $500 000 in new funding to AAA for implementation of various aspects of the NADS and AAA is partnering with the Australia Council to deliver Cultivate, a funding program to support professional development. An excellent start, but more needs to be done.

But as is the case in the broader disability sector, the major barrier to full and equal access remains attitudinal and this is equally in need of attention if the NADS is to leave a lasting legacy. This is not to discount the numerous examples of inclusive arts practice already evident across the country. But in order for systemic change to occur, there needs to be a fundamental cultural shift which even the most effective strategy will not deliver by itself.

It has long been my view that the most successful way to influence community attitudes and Government policy is to ensure that people with disability are empowered to have a voice at all levels regarding decisions which affect them. This is why access to education and training are critical, as is the employment of people with disability at all levels across the arts and cultural sector. Considering that the arts is generally viewed as an innovative sector which embraces diversity, this is an opportunity for the sector to take the lead in an area which needs urgent attention, not tokenism, but real career pathways and real jobs for people with real skills and talents.

The NADS has laid the policy foundations for removing barriers to arts and cultural participation for people with disability. Governments are taking some strong initial steps in the right direction. The missed opportunity is the enabling of a rich, (perhaps at times dissonant) but ongoing dialogue with people with disability across the sector every day, not only when it’s time to build the accessible website or the new ramp, (though of course these are important and valued initiatives.) What’s needed is an arts and cultural narrative where disability is part of the story, not a separate book to be dusted off every so often. Only then will the real opportunity created by the NADS be realised.


Emma Bennison


In: http://www.arts.qld.gov.au/blog/

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Concurso para a criação de um cartaz

Considerando a importância e a actualidade da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, ratificada pela União Europeia, e a área de actuação da ANACED, esta associação lança um Concurso para a criação de um Cartaz em Suporte Digital que deverá ilustrar os direitos enunciados nos pontos 1, 2 e 3 do Artigo 30.º da mesma Convenção.

Neste sentido, a ANACED desafia todos os interessados a apresentarem propostas sobre o tema referido, até ao dia 30 de Setembro de 2011.

O vencedor receberá um prémio em dinheiro e verá o seu trabalho ser amplamente divulgado na Internet, de forma a fazer chegar a mensagem do Cartaz ao maior número possível de pessoas.

Para conhecer o conteúdo do Artigo 30.º da referida Convenção e saber como concorrer consulte por favor o Regulamento e o Formulário de Inscrição em anexo.

Contamos com a participação de todos quantos possam interessar-se pelo tema e agradecemos a melhor divulgação que possam fazer junto dos vossos contactos.


Cristina Fontes
Directora Executiva
ANACED
Associação Nacional de Arte e Criatividade de e para Pessoas com Deficiência
Rua do Sítio ao Casalinho da Ajuda
1349 -011 Lisboa
Tels. 21 363 68 36 - 21 361 69 10
Fax 21 364 86 39
anaced@net.sapo.pt
Visite-nos em www.anaced.org.pt

ICD September Conferences & Young Leaders Forums

Y- Last Call for Applications -

ICD September Conferences & Young Leaders Forums

(Berlin and Barcelona: September 2011)

******


Dear Professors, Friends and Colleagues,

On behalf of the Institute for Cultural Diplomacy, I am writing to bring to your attention the following major programs hosted by us in partnership with other leading organizations. The Programs will bring together governmental and diplomatic officials, civil society practitioners, private sector representatives, journalists, young professionals, students and scholars, and other interested stakeholders from across the world for a program of lectures, workshops, panel and group discussions and social and cultural activities featuring leading figures from the fields of politics, the arts, academia, media, and business.

We are currently accepting applications for these events and I would be grateful if you could share this announcement by forwarding the information below to anyone you think may be interested in attending.

A World without Walls 2011” - Promoting Peace and Stability in the Mediterranean: An International Peacebuilding Congress”

(International Conference, Barcelona, September 22nd - 25th, 2011 - Held Parallel to “La Merce Festival 2011”)

www.world-without-walls.org

The Sino-Global Discourse - "The Growing Prominence of China on the World Stage: Exploring the Political, Economic, and Cultural Relations of China and Global Stakeholders"

(International Conference, Berlin, September 15th - 18th, 2011 - Held Parallel to the "Berlin - Asia Pacific Weeks Conference 2011")

www.the-Sino-Global-Discourse.org

ICD Young Leaders Forums

(August – September, 2011)

www.icd-ylf.org

Thank you for your attention and for your cooperation in sharing the news of our upcoming events. If you do not wish to receive emails from the ICD in future, please send us an email to info@culturaldiplomacy.org indicating this.



With warmest regards,



Mark Donfried

Director & Founder

O Gesto - filme de António Coelho


Antestreia do filme O GESTO - 20 Setembro, 21h30, Auditório 2

O Gesto é um filme sobre António Coelho, um rapaz de 17 anos que tem um sonho – estudar no estrangeiro para ser realizador de cinema. António estuda na Escola Jacob Rodrigues e, como muitos que a frequentam, é um não ouvinte que comunica com o mundo através de língua gestual.

Este filme realizado por António Borges Correia e produzido pela ZulFilmes (Fernando Centeio), pode ser visto no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian no dia 20. A entrada é livre.

Apoiado pelo Programa Gulbenkian de Desenvolvimento Humano, O Gesto mostra a força das convicções de um jovem, mas também as aspirações de muitos outros que fazem parte de uma comunidade de pessoas para quem o silêncio é uma forma de vida.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Design Inclusivo de Exposições – Ir/realidades


Design Inclusivo de Exposições – Ir/realidades
Local: Auditório do Museu das Comunicações - Lisboa
Participação: gratuita
Inscrições: por correio electrónico a partir de 1 de Setembro, até 7 de Outubro e condicionadas à lotação do auditório
Ficha de inscrição e programa brevemente em: http://gam-acessibilidade.blogspot.com/ | www.gam.org.pt
Email para informações e inscrições:gam.geral@gmail.com

Tradução simultânea em francês /português/francês
Tradução simultânea em Língua Gestual Portuguesa

Este 6º seminário anual vai centrar-se no Design Inclusivo de exposições. A maior parte dos museus apresenta as suas exposições em que é proibido tocar e onde o culto do sentido da visão tem a supremacia. Muitas pessoas ficam sem poder ter acesso ao património material e imaterial e não podem por isso, tirar partido da Arte e da Ciência.
Assim, surgem pontualmente museus que permitem que se toque nalgumas obras originais da reserva, ou, fazem réplicas e/ou adaptações das mesmas na exposição ou numa sala a parte. Ainda são raros os museus que concebem exposições de uma forma multi-sensorial. Com este seminário teremos oportunidade de reflectir e de conhecer alguns exemplos que nos despertem para uma realidade necessária: a de criar exposições para quem não vê, não ouve e não percebe!
O presente seminário conta com a experiência de vários especialistas de acessibilidade quer nacionais quer estrangeiros e práticas de museus de referência, bem como uma mesa redonda com várias empresas que produzem exposições para os museus.
A importância de pensarmos em vários formatos (visuais/tácteis/auditivos) certamente enriquecerá os nossos espaços, os profissionais que neles trabalham e o público que os frequenta. Em suma, este será o propósito da edição do Seminário de 2011.


Grupo organizador:
Casa Museu Dr. Anastácio Gonçalves / Ana Leitão e Tiago Veiga
Museu das Comunicações / Teresa Beirão
Museu da Pólvora Negra / Teresa Tomás Marques
Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva / Fátima Alves
José Vale / Membro individual
Patrícia Martins / Membro individual
Apoios: Fundação das Comunicações | Fundação EDP | Fundação Calouste Gulbenkian | Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva | Embaixada de França

VI Encontro de Museus de Países e Comunidades de Língua Portuguesa




O VI Encontro de Museus de Países e Comunidades de Língua Portuguesa vai realizar-se nos dias 26 e 27 de Setembro, no Museu do Oriente.

Após uma década de interregno vão ser retomados, em Lisboa, os encontros dos museus do Mundo Lusófono, numa iniciativa da Comissão Nacional Portuguesa do Conselho Internacional dos Museus (ICOM). Estarão presentes especialistas de todos os países da CPLP e de diversas comunidades lusófonas, provenientes de todo o Mundo, num total de cerca de duas centenas de participantes.

O Encontro é promovido pela Comissão Nacional Portuguesa do ICOM (ICOM Portugal), com o apoio do ICOM Brasil e a parceria da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), da União das Cidades e Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA) e da Fundação Oriente (FO).

O programa científico incluirá a apresentação de sínteses nacionais sobre o estado dos museus em todos os países da CPLP, para além dos três painéis temáticos – Museus e Desenvolvimento: parcerias e projectos de cooperação; Museus e Sustentabilidade; Profissionais e sua formação. O primeiro dia do Encontro contará com as palestras de duas personalidades: o brasileiro Ulpiano Toledo Bezerra de Meneses, Professor Emérito da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, e o francês Hugues de Varine, antigo Presidente do ICOM França e do ICOM Internacional.

Durante o Encontro terá também lugar a 1ª Reunião das Comissões Nacionais do ICOM nos países da CPLP onde estas estruturas associativas já existem (Angola, Brasil e Portugal). Em colaboração com a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia, será ainda lançado um volume de bibliografia museológica em língua portuguesa (recolhas até aos anos de 1980), organizado por Natália Correia Guedes. Outras iniciativas complementares darão conta de projectos e experiências em torno da lusofonia.

Os museus interessados poderão entregar na sede da Rede Portuguesa de Museus folhetos de divulgação ou outros materiais para serem distribuídos durante o Encontro.

Mais info: http://www.icom-portugal.org/cplp/

terça-feira, 19 de julho de 2011

Um robot para ajudar pessoas quadriplégicas



O PR2 pode fazer quase tudo, desde carregar objetos, abrir gavetas, até mesmo coçar a cabeça. Mas a sua missão é ajudar um quadriplégico a desempenhar as tarefas de todos os dias.

Há décadas que a ficção científica nos mostra os robots pessoais como um dos baluartes da inovação que vamos ver no século XXI. O Healthcare Robotics Lab do Georgia Institute of Technology uniu-se à “start-up” de robótica Willow Garage para transformar a ficção em realidade com o projeto “Robots For Humanity” – Robots para a Humanidade.

A ideia é simples: criar um robô pessoal para apoiar Henry Evans nas tarefas diárias. Evans ficou mudo e quadriplégico na sequência do acidente vascular cerebral que sofreu aos 40 anos. PR2, assim se chama este robô, tem o tamanho de uma pessoa e vem equipado com dois braços, capazes de executarem diversas tarefas - desde fazer a barba, abrir gavetas, carregar objetos ou, até, coçar a cabeça.

Atualmente, Evans visita regularmente o Georgia Institute of Technology, mas a Willow Garage espera que ele possa ter oseu próprio PR2 a partir do próximo ano. A empresa acredita que é no setor da assistência e apoio social que este tipo de tecnologias poderão vir a ter mais sucesso e praticabilidade.

De acordo com os investigadores do Georgia Institute of Technology, o projeto PR2 dá ainda os primeiros passos, uma vez que há muitas pessoas com diferentes problemas motores, que poderão beneficiar da companhia de um robô deste tipo.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Museo Sefardí



La Ministra de Cultura presentó ayer en el Museo Sefardí el proyecto de adaptación a personas con discapacidad visual y auditiva, a través de un recorrido táctil y nuevos recursos y dispositivos de comunicación, con una adaptación expositiva pensada para que los colectivos de personas ciegas o con resto visual puedan realizar la visita de forma totalmente autónoma conjuntamente con el resto del público.

Para más información:http://www.mcu.es/novedades/2011/novedades_ProyectoMuseoSefardi.html

MUSE e Faculdade de Letras da Universidade do Porto estabelecem Protocolo de Cooperação Inovar e Dinamizar o Património Cultural


A MUSE e a Universidade do Porto, através da sua unidade orgânica Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), celebraram recentemente um Protocolo de Colaboração que visa o desenvolvimento de mecanismos de cooperação no âmbito de actividades técnico-científicas e de investigação.

O reforço da colaboração técnico-científica entre as duas instituições, a necessidade de aproximar o meio universitário e a realidade empresarial, e a promoção do estreitamento das relações académicas com as organizações (públicas e privadas) e com a comunidade envolvente, são outros factores que motivaram a assinatura deste Protocolo.

O âmbito da parceria envolve acções de consultoria e assessoria técnica e científica, a realização conjunta de programas de investigação, colaboração em acções de formação, desenvolvimento de actividades pedagógicas, entre outras iniciativas como seminários e workshops. Estas acções garantem o aproveitamento recíproco das potencialidades técnicas, humanas e de inovação da Muse e da FLUP.

Seguindo o lema desta instituição de ensino “Qualidade e Excelência ao Serviço da Comunidade”, as duas entidades vão trabalhar em diversas áreas como o Património, Antropologia Cultural, Arqueologia, História da Arte, Bens Culturais, Conservação e Restauro, e mais concretamente, na área da Museologia. A Muse surge como parceira no reforço de um dos objectivos estratégicos da política científica da FLUP: a valorização da articulação investigação-ensino e a sua correspondente dimensão e projecção social.

Na FLUP funciona, desde há dez anos, o Departamento de Ciências e Técnicas do Património, onde vários especialistas, de áreas diversas das Ciências do Património, têm vindo a desenvolver um reconhecido trabalho com instituições públicas, privadas, nacionais e estrangeiras.

Através desta parceria, a MUSE e a FLUP pretendem dinamizar a comunidade através de projectos culturais marcados pela inovação e onde estes assumem um importante factor de desenvolvimento e competitividade de empresas e instituições.

Seminário Anual do GAM 2011


Convidam-se todos os investigadores interessados à submissão de comunicações orais ou posters para participar no Seminário Anual do GAM 2011, a realizar no dia 17 de Outubro no Museu das Comunicações, sob o tema Design Inclusivo de Exposições. O prazo para a entrega das candidaturas foi alargado até ao dia 30 de Julho. As propostas deverão ser enviadas para gam.geral@gmail.com

Seminário "Em torno da acessibilidade: objectivos, métodos e resultados"


Na sequência de sugestões apresentadas em reuniões de trabalho com os Museus da RPM, que tiveram lugar nos passados meses de Março e Abril, o IMC/Departamento de Museus – RPM, em parceria com os museus desta rede, promove um ciclo de seminários in loco destinados a dar visibilidade a boas práticas e a experiências de referência no panorama museológico do País, com vista à reflexão sobre potencialidades, dificuldades, metodologias e processos.

O segundo seminário terá lugar no dia 22 de Julho e incidirá sobre a intervenção feita na exposição permanente do Museu Nacional do Azulejo com o objectivo de a tornar mais acessível. Com efeito, depois desta intervenção o museu está preparado para receber visitantes com deficiência motora, mas também visual e auditiva. Este é um projecto-piloto do Instituto dos Museus e da Conservação / Ministério da Cultura.

Seminário: Em torno da acessibilidade: objectivos, métodos e resultados

Local: Museu Nacional do Azulejo

Data: 22 de Julho de 2011

Destinatários: Profissionais de museus, investigadores e estudantes

Horário: 10.00h-13.00h/14.30h-17.30h

Inscrição: Gratuita

Pré-inscrição: Até 15 de Julho

Número máximo de participantes: 15

The Open and Learning Museum Conference

The first public event of the LEM project, “The Open and Learning Museum” Conference, is planned to take place in Tampere, Finland, on 12 October 2011.

The conference will deal with issues such as: Art, culture and well-being; Visitor studies and audience research; Intercultural dialogue in museums; The unemployed as museum visitors; Museums and the ageing population; Learning and technology.

Participation is free of charge and registration is now open using the following link http://www.museoliitto.fi/open-and-learning

Those interested in participating in the Conference by applying for a Grundtvig Grant, can search the Comenius Grundtvig Training Database (http://ec.europa.eu/education/trainingdatabase) looking for the conference code IT-2011-706-001.


NEWS IN FOCUS:
New materials on museums and intercultural dialogue available on the LEM website
The LEM partners have asked Simona Bodo, a well known researcher at European level, with a special interest in the social agency of museums and their role in the promotion of intercultural dialogue, to contribute to the LEM working groups, by providing resources – bibliographies, links to websites or publications, case studies – on the subject 'Museums and Intercultural Dialogue'. These materials are now published on the public area of the LEM website, while additional information relating to good practice case studies are available for LEM Partners and Associate partners in the reserved area of the website.

Please read on.

Science Knitting
The Science Museum and Stitch London are teaming up for Stitched Science. A weekend of knitting and stitching events, encouraging experts and novices alike to get involved in a range of activities which include helping to create a giant stitched solar system.

Please read on.

The Event Driven Museum?
The article "The Event Driven Museum?" published June 2011 by Nina Simon, is on Museum 2.0 blog. Began in November 2006 the Museum 2.0 blog explores the ways that the philosophies of Web 2.0 (giving power to the participant) can be applied in museums to make them more engaging, community-based, vital elements of society.

Please read on.

Millennial Intelligence for Museums
Every generation experiences the world in a different way, developing attributes that uniquely reflect who they are. The group aged 18 to 29, grew into adulthood at the beginning of a new millennium. Impacted by significant global trends including the explosion of technology.

Please read on.

How Wikipedians-in-Residence Are Opening Up Cultural Institutions
Wikipedia's comprehensive entries have become the default source of collective knowledge on the Web as our attention spans and patience for deep archival research shrink in the digital age. Yet concerns over the encyclopedia's accuracy and consistency remain. That's where Dominic McDevitt-Parks comes in. The Simmons College graduate student recently joined the National Archives and Records Administration as a summer "Wikipedian-in-residence." McDevitt-Parks is tasked with integrating NARA's vast stockpile of primary documents and records — the bread and butter of history — with the sprawling ecosystem of collective knowledge and collaborative editorship that has defined Wikipedia.

Please read on.


EVENTS IN FOCUS:
European Symposium Culture and Education: “Evaluation of cultural projects”
For the third consecutive year, the Festival d’Aix-en-Provence is inviting teachers, students, artists and project leaders in formal and non-formal education settings and education managers to exchange on the evaluation of education projects.

Please read on.

8th Hands On! Europe Conference Slovenia 2011
How does transition effect cultural heritage? Who defines cultural heritage and how is it transmitted from one generation to another? The moving of cultures through emigration: what is gained and what is lost? How does one define cultural identity in a world of diversity?

Please read on.

Manchester International Festival
Manchester International Festival is the world’s first festival of original, new work and special events, and takes place biennially in Manchester, UK. The Festival launched in 2007 as an artist-led, commissioning festival presenting new works from across the spectrum of performing arts, visual arts and popular culture including group show Il Tempo del Postino, featuring artists including Matthew Barney and Olafur Eliasson and Damon Albarn and Jamie Hewlett’s Monkey: Journey to the West.

Please read on.

Museums Association Conference and Exhibition 2011
The biggest networking opportunity for museum professionals in Europe. A number of leading figures in the sector are already confirmed as keynote speakers, including Tim Smit, co-founder of the Eden Project, Althea Efunshile, chief operating officer at Arts Council England, and Caroline Lucas, leader of the Green Party.

Please read on.


OTHER PROJECTS IN FOCUS:
MeLa - European Museums and Libraries in/of the Age of Migrations
The project is funded by the European Commission under the Seventh Framework Programme, which aims to delineate new approaches for museums and libraries in a context characterized by the continuous migration of people and ideas. Its main objectives are to advance knowledge in the field and to support museum and library communities, practitioners, experts and policymakers in developing new missions and forms of museums and libraries “in the age of migration”. The project website is www.mela-project.eu

Please read on.

IBERMUSEOS. Ibero-American Cooperation Program
Latin America is one of the priority areas of cooperation of the Ministry of Culture of Spain in the field of museums. The actions focus on training programs for Latin American professionals, including courses, scholarships, and bilateral and multilateral professional meetings.

Please read on.

Leonardo ITEMS - Innovative Teaching for European Museum Strategies
ITEMS is a Leonardo da Vinci Program multilateral partnership. It is meant to spread knowledge and expertise in the field of art education especially with regards to the cooperation between secondary schools and museum institutions. A special attention is given to the potential of new technologies in school and museum education.

Please read on.


BOOK REVIEW:
The Participatory Museum
Published: 2010 by Nina Simon and reviewed by Kimberly Zahler. Turning the ethnographic lens on to museums as cultural artifacts themselves, Nina Simon presents a “how-to” guide for the new face of cultural institutions in their communities. Her work is celebratory, but looking below the surface is serious concern about the effectiveness of traditional museum paradigms.

Please read on.


Click here to view the entire LEM website

International Jodi Awards 2011 e conferência internacional Digital Strategies for Heritage

Caro/a Director/a de Museus,

Vimos dar-lhe conhecimento da abertura do período de candidaturas aos prémios International Jodi Awards 2011 e simultaneamente da realização conferência internacional Digital Strategies for Heritage, que este ano se irá realizar em Roterdão, na Holanda, de 6 a 9 de Dezembro de 2011.

Os museus usam cada vez mais a tecnologia digital para ir de encontro aos seus públicos, promovendo assim o acesso às suas colecções. Esta prática vem de encontro às recomendações da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (2008), que reconhece o seu direito igual e inalienável de tomar parte na vida cultural da sociedade.

Nesta linha, a Jodi Mattes Trust (http://www.jodimattestrust.org.uk/) promove o acesso sem barreiras à cultura digital por parte de pessoas com deficiência, contribuindo assim para que esse direito se torne uma realidade. Este ano, os International Jodi Awards 2011 serão atribuídos aos melhores websites. As candidaturas deverão ser enviadas até 21 de Setembro. A atribuição dos prémios será feita a 8 de Dezembro, durante a conferência internacional Digital Strategies for Heritage (http://www.dish2011.nl/).

A Digital Strategies for Heritage (DISH) é uma conferência internacional bianual sobre a divulgação do património por via digital e as estratégias para o conseguir. Pretende proporcionar aos participantes fontes de inspiração, divulgar o conhecimento e promover o trabalho em rede.

Jornadas Europeias do Património

Exmos. Senhores,

Relembramos o convite da Direcção do IGESPAR para participação nas Jornadas Europeias do Património, informando que alargámos o prazo para envio de programas até ao dia 30 de Julho de 2011.

Contamos, uma vez mais, com a V. imprescindível participação num projecto de relevante interesse cultural, com projecção nacional e internacional.

Informamos ainda que, sendo o objectivo fundamental desta comemoração a divulgação e a sensibilização do público para a diversidade e vulnerabilidade do património cultural, poderão ser apresentadas outras propostas de actividades que não estejam directamente relacionadas com o tema escolhido para este ano.


Carla Lopes
Divisão de Estudos Patrimoniais e Arqueociências
Departamento de Inventário Estudos e Divulgação
IGESPAR, I.P.
Palácio Nacional da Ajuda
1349-021 Lisboa
T. +351 21 3614329
calopes@igespar.pt

I Encontro de Escolas de Referência para o Ensino Bilingue de Alunos Surdos

Tema: I Encontro de Escolas de Referência para o Ensino Bilingue de Alunos Surdos
Local: Pavilhão do Conhecimento no Parque das Nações, em Lisboa
Data: 9 de Julho de 2011
Horas: 09h30

O Agrupamento de Escolas Quinta de Marrocos - Escola de Referência para o Ensino Bilingue de Alunos Surdos de Lisboa vai organizar este I Encontro de Escolas de Referência de todo o território Nacional, no qual ocorrerão 3 workshops. Os temas a debater serão "A Língua Portuguesa como Segunda Língua para Alunos Surdos", "As Ciências Naturais para Alunos Surdos" e "Música para Alunos Surdos".

Contactos:
Agrupamento de Escolas Quinta de Marrocos
Telm.: 91 943 84 19, Isabel Galhardo
Telm.: 91 988 03 66, Fátima Silva
E-mail: encontroerebas@gmail.com

Fonte: http://www.inr.pt

Relatório Mundial sobre Deficiência



Foi lançado, no passado dia 9 de Junho, o primeiro relatório mundial sobre deficiência, produzido conjuntamente pela Organização Mundial de Saúde e pelo Banco Mundial.

De acordo com este relatório, mais de um bilião de pessoas tem actualmente, no mundo inteiro, alguma forma de deficiência ou incapacidade.

As pessoas com deficiência têm em geral inferiores condições de saúde, mais baixas aquisições escolares, menores oportunidades económicas e mais elevadas taxas de pobreza do que as pessoas sem deficiência. Esta situação deve-se, em larga medida, à falta de serviços à sua disposição e aos múltiplos obstáculos com que se deparam no seu quotidiano.

O relatório apresenta as melhores evidências disponíveis sobre os meios viáveis para superar as barreiras existentes no acesso aos cuidados de saúde, à reabilitação, à educação, ao emprego e aos serviços de apoio, bem como para criar ambientes favoráveis ao desenvolvimento das pessoas com deficiência ou incapacidade. O relatório termina com um conjunto concreto de acções recomendadas aos governos e seus parceiros.

Este relatório sobre deficiência, pioneiro a nível mundial, dará um contributo significativo para a implementação da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Na zona de intersecção entre a saúde pública, os direitos humanos e o desenvolvimento, o relatório está destinado a tornar-se um recurso indispensável para os decisores políticos, prestadores de serviços, profissionais e defensores das pessoas com deficiência e suas famílias.

Mais informações na página da OMS sobre o relatório http://www.who.int/disabilities/world_report/2011/en/index.html .

Pode ainda aceder às versões em inglês quer do Relatório completo http://whqlibdoc.who.int/publications/2011/9789240685215_eng.pdf quer da versão do Relatório em texto de leitura fácil http://www.who.int/disabilities/world_report/2011/easyread.pdf .

(Brevemente o INR, IP disponibilizará a tradução portuguesa da versão em leitura fácil).

Fonte: INR – Instituto Nacional para a Reabilitação

Guia de Apoio à Cultura e Criatividade


No passado mês de Junho o Ministério da Cultura e Ciência editou um Guia de Apoios à Cultura e Criatividade onde se podem encontrar informações sobre programas de apoio e de incentivo e iniciativas e mecanismos financeiros, nacionais e internacionais, disponíveis para as várias áreas. Pretende-se dotar criadores, agentes culturais e empresários com um instrumento prático que ajude a promover e dinamizar as suas actividades. Este Guia será regularmente actualizado estando, por isso, permanentemente disponível para consulta on-line no site do GPEARI(procurar o Guia nos separadores do lado direito)

Acção de Formação em Orientação e Mobilidade para Professores do Ensino Especial

A ACAPO – Associação dos Cegos e Ambliopes de Portugal vai realizar uma Acção de Formação em Orientação e Mobilidade dirigida aos Professores do Ensino Especial.



Acção de Formação em Orientação e Mobilidade para Professores do Ensino Especial

Lisboa, 5 a 9 de Setembro (1.º momento)
Destinatários: Professores do Ensino Especial, e outros interessados.
Objectivos: Responder às necessidades de formação dos professores que pretendem ensinar Orientação e Mobilidade aos seus alunos com deficiência visual.
Formador: Peter Colwell
Carga Horária e Cronograma: 60 Horas (divididas em dois momentos de 30 horas cada)

Cronograma:
1.º Momento – de 5 a 9 de Setembro, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00;
2.º Momento – data a definir com os formandos, sendo que se realizará sempre dentro do calendário lectivo 2011/2012.
Local de Realização:
Direcção Nacional da ACAPO
Av. D. Carlos 1.º n.º 126, 9.º andar - 1200-651 Lisboa
Conteúdos Pragmáticos
1.º Momento 2.º Momento
Técnicas de Guia
Técnicas de Protecção
Orientação no Espaço Escolar
O Ensino de Percursos
Introdução da Bengala Técnicas de Bengala
Uso dos Transportes Públicos
Planeamento das Aulas
Avalização do Desempenho dos Alunos
Condições/Mais informações

Inscrição: 300 Euros (50% na inscrição, restante valor no 2.º momento da formação. Desconto de 15% para quem pague a totalidade do curso.
Nota: As inscrições devem ser efectuadas até ao dia 31 de Julho de 2011.
Deverá preencher a ficha de inscrição e envia-la para o e-mail inscricao@acapo.pt

terça-feira, 5 de julho de 2011

Perspectivas sobre as acessibilidades no Porto

O Porto é uma cidade linda. Mas para falar dela tenho que dizer que não sou imparcial e fazer a minha declaração de interesses: nasci no Porto e vivi grande parte da minha vida nesta cidade. Um pouco mais de metade dessa vida, autónomo, e os últimos dezassete anos numa cadeira de rodas. Quando fiquei tetraplégico comecei a reparar nas dificuldades que existiam para me movimentar: passeios com grandes desníveis, inacessibilidade dos transportes públicos, degraus para entrar em edifícios públicos, dificuldade em ir à praia (que tanto gostava), passeios mal pavimentados ou com pavimentação irregular ou ruas inclinadas. Relativamente a estas últimas, que são acidentes de relevo não há grandes soluções para elas; mas quanto às outras existem soluções e já alguma coisa foi feita no Porto..


Para quem quiser deslocar-se, em transportes públicos, em cadeira de rodas, pode fazê-lo utilizando o metro. Até à data ainda não houve uma estação que precisasse de usar que não estivesse adaptada. E penso mesmo que estão todas. Muitos dos autocarros também são acessíveis, havendo várias paragens elevadas para facilitar a entrada e saída. Mais difícil, para não dizer impossível, é fazer uma viagem turística nos tradicionais carros eléctricos.


No Porto há vários pontos de interesse a visitar, alguns acessíveis a cadeiras de rodas, outros completamente impossíveis de aceder, como é o caso da Torre dos Clérigos, desenhada pelo italiano Nicolau Nasoni. Outro edifício com grandes dificuldades de acesso é a Igreja de S. Francisco que fica na turística zona histórica da ribeira, classificada como património mundial pela UNESCO. É uma área com ruas íngremes em paralelo e passeios com desníveis. Ao lado da referida igreja, encontra-se o Palácio da Bolsa. Na sua entrada tem uma escadaria que dificulta o acesso, mas falando com o porteiro, pode-se pedir para entrar com a cadeira de rodas pela entrada lateral. Para quem se deslocar numa cadeira eléctrica – uma vez que o elevador não é muito grande – poderá ter dificuldade em aceder ao segundo piso, onde se encontra o magnífico salão árabe, uma das mais deslumbrantes salas que vi.


O Porto é também conhecido pelas suas pontes, seis no total, sendo a mais célebre, a ferroviária – entretanto desactivada – de D. Maria Pia construída pela empresa do famoso Gustave Eiffel. Contudo, estando na zona da Ribeira, o convite é para atravessar o rio Douro pela bela ponte Luiz I (como o Rei não esteve presente na inauguração, como retaliação, a população retirou o Dom ao nome) e fazer uma visita às caves de Vinho do Porto, em Vila Nova de Gaia. Existem variadas propostas. Duas que já experimentei a acessibilidade para cadeira de rodas foram as caves da Calém e da Ferreira.

Regressando ao Porto, a sugestão é visitar a Casa da Música arquitectada por Rem Koolhaas que passou a ser a mais recente casa de espectáculos e ex-libris da cidade. Não se assuste com a escadaria se quiser ir ao restaurante deste edifício, há uma plataforma para cadeira de rodas. Também totalmente acessível é uma das obras de Álvaro Siza Vieira: o Museu de Arte Moderna que fica em Serralves e onde se podem ver excelentes exposições. Por lá já vi exibições temáticas de Andy Warhol, Francis Bacon, Paula Rego e Amadeo de Souza-Cardoso, para falar de só alguns artistas. Também gosto muito de passear pelos magníficos jardins que rodeiam este museu.

Outras propostas para relaxar ao ar livre são um passeio pelo Palácio de Cristal ou no recuperado Parque da Cidade, ambos preparados para receber utentes com mobilidade reduzida.

Para descontrair ao final da tarde, sugiro uma das várias esplanadas à beira-mar, quase todas elas com rampas de acesso.

Lembro-me bem que há uma década as zonas balneares não estavam preparadas para pessoas que se deslocassem em cadeiras de rodas, mas hoje em dia, o panorama é francamente diferente. Ultimamente, as autarquias do Porto, Vila Nova de Gaia e Matosinhos investiram na requalificação das frentes marítimas e na qualidade da água do mar, assim como na acessibilidade das praias. Há já várias em que é mesmo possível tomar banho num tiraló. Para as descobrir, assim como outras propostas, poderá consultar várias sugestões no site www.portugalacessivel.com . Divirta-se no Porto!

Por Bento Amaral (Junho 2011), disponível em Portugal Acessível

quinta-feira, 16 de junho de 2011

"Outra Modalidade de Relação com o Mundo" - Educação e Reabilitação de Pessoas Invisuais


A Fundação Nossa Senhora da Esperança vai realizar em Castelo de Vide, nos dias 16 e 17 de Junho de 2011, uma conferência de Tiflologia, intitulada "Outra Modalidade de Relação com o Mundo" - Educação e Reabilitação de Pessoas Invisuais (ver programa em anexo).

A Fundação Nossa Senhora da Esperança é uma instituição particular de solidariedade social, de inspiração cristã e de âmbito nacional, que tem por objectivo promover actividades assistenciais nos campos da tiflologia e da terceira idade.

Esta iniciativa surge devido a forte ligação que a Fundação tem com a tiflologia, uma vez que inicialmente a instituição funcionava como asilo de cegos.

Enabled by Design


It's all about people-powered products: We are a community of people passionate about well designed everyday products. By sharing our loves, hates and ideas, we can challenge the one-size-fits-all approach to assistive equipment through the use of clever modern design.

Enabled by Design is a social business run on a not-for-profit basis for the benefit of our community.

Enabled by Design was inspired by co-founder Denise Stephens' experiences following her diagnosis of Multiple Sclerosis in 2003. Having suffered a series of disabling relapses and hospital admissions, Denise was assessed by an Occupational Therapist (OT) and given a range of assistive equipment to help her to be as independent as possible. Although this equipment made a huge difference to her life, she became frustrated as her home started to look more and more like a hospital. But Denise had an idea...

More info: http://enabledbydesign.org/lovehates/#comments-open

1º Encontro Nacional "Superar Barreiras com TIC"

As tecnologias são um aliado poderoso da educação. Quando se trata de alunos com Necessidades Educativas Especiais, adquirem ainda maior dimensão ao assumirem-se como a diferença entre o ser espectador e o ser actor no seu processo de aprendizagem. São ferramentas que superam barreiras e promovem o acesso e a participação daqueles que, por algum motivo, não acompanham o normal fluir da aprendizagem. O 1º Encontro Nacional “Superar Barreiras com TIC: Políticas, Ideias e Práticas” pretende reunir vários intervenientes na educação de alunos com Necessidades Educativas Especiais para apresentarem, debateram e demonstrarem como é possível conseguir que estes alunos aprendam mais e melhor com as TIC e as Tecnologias de Apoio a seu lado. Encontrar e difundir boas práticas, mas acima de tudo, contribuir para a modelagem de atitudes e fomentar a pro-actividade na exploração destas ferramentas para a supressão de barreiras na aprendizagem de todos os alunos constitui a ideia base deste 1º Encontro Nacional.

O evento, surge do esforço concertado do Centro de Competência TIC da Universidade de Aveiro e o Laboratório de Conteúdos Digitais, uma das estruturas funcionais do Centro de Investigação de Didáctica e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF) com sede no Departamento de Educação (DE) da Universidade de Aveiro. Estas entidades acreditam no potencial que as TIC possuem no auxílio de alunos com problemas de aprendizagem e pretendem sensibilizar e incrementar o conhecimento sobre estas ferramentas.

O Encontro irá realizar-se no Auditório da Reitoria da Universidade de Aveiro nos dias 17 e 18 de Junho de 2011.

O programa (também em anexo) e demais informação está disponível em: http://blogs.ua.pt/encontro_ticnee/?page_id=32

Encontro Superar Barreiras com TIC
A/C Centro de Competência TIC-UA
Departamento de Educação
Universidade de Aveiro
Campus de Santiago
3810-193 AVEIRO, PORTUGAL

e-mail: de-superarbarreiras@ua.pt

nº directo: + 351 234 378 155

Fonte: Rede Solidária

Transportes adaptados


Exmos.(as) Srs.(as),

Desde os anos 20 do século passado que a Viúva Monteiro & Irmão, Lda é um dos agentes mais importantes na mobilidade do concelho do Sabugal, contribuindo de forma decisiva para a inclusão social das faixas etárias mais desfavorecidas – os jovens e os idosos.

Foi neste sentido de combate à exclusão social que a Viúva Monteiro adquiriu recentemente um autocarro de pesado de passageiros adaptado ao transporte de pessoas com mobilidade reduzida, com capacidade de transportar até 12 cadeiras de rodas. À data da aquisição da viatura, este era um dos dois veículos existentes no País.

Direccionado para dar resposta às instituições e entidades que apoiam pessoas com mobilidade reduzida ou condicionada, este veículo, especialmente preparado, tem 55 lugares sentados que poderão ser reduzidos até 5 lugares sentados e, simultaneamente, 12 cadeiras de rodas. Para tal, os bancos são desmontados previamente consoante o número de cadeiras de rodas a transportar (4 bancos por cada cadeira de rodas) e o sistema de acesso das cadeiras de rodas ao interior é feito através de uma plataforma elevatória, sendo a cadeira de rodas segura por um sistema próprio de retenção.

Caso as necessidades passem apenas pelo acesso ao autocarro especialmente por parte de idosos ou outras pessoas com mobilidade condicionada, a plataforma elevatória permite colocar os passageiros no autocarro sem ter que subir as escadas.

Desta forma, a nossa empresa vem dar a conhecer esta viatura que seguramente responde às vossas necessidades de transporte.

A promoção da qualidade de vida através do aumento da acessibilidade das pessoas de mobilidade condicionada como elemento essencial na equiparação dos níveis de vida e na integração social destas populações é um dos nossos objectivos.

Contacte-nos! O nosso número de telefone é 271 753 405, o nosso fax é 271 753 418 e o nosso correio electrónico é geral@viuvamonteiro.pt.

VI Encontro de Museus de Países e Comunidades de Língua Portuguesa


O ICOM Portugal organiza nos dias 26 e 27 de Setembro de 2011, em Lisboa, no Museu do Oriente, o VI Encontro de Museus de Países e Comunidades de Língua Portuguesa. No âmbito deste encontro, terá ainda lugar a I Reunião das Comissões Nacionais da CPLP.

Mais informação em: http://www.icom-portugal.org/iniciativas_seminarios,132,275,detalhe.aspx

Prémio “Ser Capaz – Investigação e Tecnologia”


A Associação Salvador, com o objectivo de estimular a investigação no domínio da reabilitação psicomotora, promove o Prémio “Ser Capaz – Investigação e Tecnologia”, no valor de €10.000. As candidaturas decorrem entre os dias 23 de Maio e 14 de Outubro.

Este prémio anual pretende financiar projectos cujo objectivo seja facilitar a vida das pessoas com deficiência motora, através do desenvolvimento de produtos, instrumentos, tecnologias, metodologias, equipamentos ou sistemas técnicos que previnam, compensem, atenuem ou neutralizem as suas incapacidades.

Podem participar nesta iniciativa pessoas singulares, com mais de 18 anos, e pessoas colectivas, desde que sedeadas em Portugal.

Mais informação disponível em: http://www.associacaosalvador.com/index.php?option=com_content&task=view&id=168&Itemid=111&lang=en

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Feira de Educação Especial


A Comissão Social Inter-freguesias St.ª M.ª de Belém e S. Francisco Xavier (decreto lei n.º 115/2006 de 14 de Junho) inserida na Rede Social de Lisboa vem por este meio convidar V.Exas. a visitar a Feira de Educação Especial que irá decorrer no próximo dia 20 de Maio entre as 10.00H e as 20.00H no Jardim Vasco da Gama em Belém.

Trata-se de um evento que tem como objectivo divulgar os recursos existentes na área da Educação Especial, bem como promover o convívio entre crianças com necessidades educativas especiais, respectivas famílias técnicos e instituições.

Solicita-se ainda divulgação da Feira de Educação Especial junto das instituições, técnicos e famílias.